Imprensa

Nutricionista dá dicas de como cuidar da alimentação durante o verão
Neste período de calor excessivo, é importante ingerir muito líquido e alimentos leves como frutas e verduras para evitar a desidratação
 
Uso de óculos escuros, protetor solar e boné são alguns dos cuidados que as pessoas costumam ter no verão. Mas além de cuidar da pele e dos olhos, outra recomendação importante para estes dias de calor excessivo é estar atento  à  alimentação. A professora do curso de Nutrição do Centro Universitário Estácio da Bahia, Carla Danusa, dá algumas dicas de como se manter hidratado e evitar intoxicação com alimentos mal conservados.
De acordo com a professora, nestes dias de calor excessivo o nosso corpo perde muito líquido e sais minerais com o suor. Então, a ingestão de líquidos deve ser frequente. “O ideal é não esperar que a sede apareça, pois essa sensação já é um sinal de desidratação”, afirma Carla.
A especialista destaca que nem todo líquido é saudável. Ela recomenda evitar o consumo de sucos artificiais e refrigerantes, pois são ricos em sódio, corantes, conservantes e açúcar, além de não possuírem sais minerais.
Carla diz que é importante também evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, pois elas favorecem a desidratação. “O álcool diminui a produção do hormônio antidiurético, fazendo a pessoa urinar mais. A cerveja gelada pode até dar a impressão de matar a sede, causando a sensação de refrescância, mas o efeito negativo no corpo se dá logo após essa sensação. Além disso, o álcool estimula o sistema nervoso, aumentando a pressão corporal e fazendo a pessoa suar mais”, afirma. “Por isso, a melhor alternativa é moderar o consumo de álcool principalmente em dias muito quentes e, quando consumi-los, intercalar com água, sucos naturais e água de coco para prevenir a desidratação e evitar a ressaca”, complementa. 
Além de ingerir bastante líquido, a professora recomenda incluir muitas frutas e verduras com maior frequência, pois estes alimentos ajudam a repor os líquidos e eletrólitos perdidos com o suor.
Conforme Carla, a temperatura mais elevada favorece o desenvolvimento de microrganismos nos alimentos, tornando-os mais susceptíveis à intoxicação alimentar. Para quem costuma comer fora de casa, ela recomenda saber a procedência do alimento e verificar se foram acondicionados corretamente antes de serem servidos.  “É importante ter cuidado principalmente com alimentos feitos com leite, ovos e carnes. Esses alimentos são muito perecíveis e necessitam de refrigeração adequada para se manterem conservados”, destaca.
Para as crianças, que passam boa parte do tempo distraídas com brincadeiras, o que pode prejudicar a ingestão de líquidos, a nutricionista recomenda fracionar as refeições e aproveitar as frutas de estação na preparação de lanches como saladas, vitaminas, sucos e sorvetes.